MÚSICAS JUNINAS

 

 

 

 

 


 

ISTO É LÁ COM SANTO ANTÔNIO
(música de Lamartine Babo)

 

 

Eu pedi numa oração
Ao querido São João
Que me desse um matrimônio
São João disse que não!
São João disse que não!
Isto é lá com Santo Antônio!
Eu pedi numa oração
Ao querido São João
Que me desse um matrimônio
Matrimônio! Matrimônio!
Isto é lá com Santo Antônio!


 

Implorei a São João
Desse ao menos um cartão
Que eu levava a Santo Antônio
São João ficou zangado
São João só dá cartão
Com direito a batizado
Implorei a São João
Desse ao menos um cartão
Que eu levava a Santo Antônio
Matrimônio! Matrimônio!
Isso é lá com Santo Antônio!


 

São João não me atendendo
A São Pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Disse o velho num sorriso:
Minha gente, eu sou chaveiro!
Nunca fui casamenteiro!
São João não me atendendo
A São Pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Matrimônio! Matrimônio!
Isso é lá com Santo Antônio.

 

 

 

 


 

 

BALÃOZINHO

 

Venha cá, meu balãozinho.
Diga aonde você vai.
Vou subindo, vou pra longe,
vou pra casa dos meus pais.
Ah, ah, ah, mas que bobagem
Nunca vi balão ter pai!
Fique quieto neste canto, e daí você não sai.
Toda mata pega fogo;
Passarinhos vão morrer.
Se cair em nossas matas,
o que pode acontecer?
Já estou arrependido;
Quanto mal faz um balão.
Ficarei bem quietinho,
Amarrado num cordão.

 

 


 

CAI, CAI, BALÃO

 

 

Cai, cai, balão! Cai, cai, balão!
Na rua do sabão
Não cai não! Não cai não! Não cai não!
Cai aqui na minha mão !

 

Cai, cai, balão! Cai, cai, balão!
Aqui na minha mão
Não vou lá! Não vou lá! Não vou lá!
Tenho medo de apanhar !

 

 


 

CAPELINHA DE MELÃO

 

Capelinha de melão
É de São João
É de cravo, é de rosa
É de manjericão

 

São João está dormindo
Não acorda, não
Acordai, acordai!
Acordai, João!

 

 


 

NOITES DE JUNHO
(de João de Barro e Alberto Ribeiro)

 

 

Noite fria, tão fria de junho
Os balões para o céu vão subindo
Entre as nuvens aos poucos sumindo
Envoltos num tênue véu
Os balões devem ser com certeza
As estrelas aqui desse mundo
As estrelas do espaço profundo
São os balões lá do céu

 

Balão do meu sonho dourado
Subiste enfeitado, cheinho de luz
Depois as crianças tascaram
Rasgaram teu bojo de listas azuis
E tu que invejando as estrelas
Sonhavas ao vê-las ser astro no céu
Hoje, balão apagado, acabas rasgado
Em trapos ao léu.

 


 

PEDRO, ANTÔNIO E JOÃO
(Osvaldo Santiago e Benedito Lacerda)

 

Com a filha de João
Antônio ia se casar
Mas Pedro fugiu com a noiva
Na hora de ir pro altar

 

A fogueira está queimando
E um balão está subindo
Antônio estava chorando
E Pedro estava fugindo
E no fim dessa história
Ao apagar-se a fogueira
João consolava Antônio
Que caiu na bebedeira.

 


 

PULA FOGUEIRA
(de Getúlio Marinho e João B. Filho)

 

Pula a fogueira, Iaiá!
Pula a fogueira, Ioiô!
Cuidado para não se queimar
Olha que a fogueira
Já queimou o meu amor!

 

Nesta noite de festança
Todos caem na dança
Alegrando o coração
Foguetes, cantos e troça
Na cidade e na roça
Em louvor a São João

 

Nesta noite de folguedo
Todos brincam sem medo
A soltar seu pistolão
Morena flor do sertão
Quero saber se tu és
Dona do meu coração.

 


 

CHEGOU A HORA DA FOGUEIRA
(Lamartine Babo)

 

Chegou a hora da fogueira
É noite de São João
O céu fica todo iluminado
Fica o céu todo estrelado
Pintadinho de balão
Pensando no caboclo a noite inteira
Também fica uma fogueira
Dentro do meu coração

 

Quando eu era pequenino
De pé no chão
Eu cortava papel fino
Pra fazer balão
E o balão ia subindo
Para o azul da imensidão

 

Hoje em dia o meu destino
Não vive em paz
O balão de papel fino
Já não sobe mais
O balão da ilusão
Levou pedra e foi ao chão.

 


 

SONHO DE PAPEL
(música de Alberto Ribeiro)

 

E um balão vai subindo
Vem caindo a garoa
O céu é tão lindo
E a noite é tão boa!
São João! São João!
Acende a fogueira
No meu coração

 

Sonho de papel
A girar na imensidão
Soltei em teu louvor
Um sonho multicor
Ó meu São João!

 

Meu balão azul
Foi subindo devagar
E o vento que soprou
Meu sonho carregou
Não vai mais voltar!

 


 

O SANFONEIRO SÓ TOCAVA ISSO
(Haroldo Lobo e Geraldo Medeiros)

 

O baile lá na roça
Foi até o sol raiar
A casa estava cheia
Mal podia se andar!
Estava tão gostoso
Aquele reboliço
Mas é que o sanfoneiro
Só tocava isso!

 

De vez em quando alguém
Vinha pedindo pra mudar
O sanfoneiro ria
Querendo agradar!
Diabo é que a sanfona
Tinha qualquer enguiço!
Mas é que o sanfoneiro
Só tocava isso!

 


 

FESTA DO INTERIOR
(de Moraes Moreira e Abel Silva)

 

Fagulhas, pontas de agulhas
brilham estrelas de São João
babados, xotes e xaxados
segura as pontas do meu coração
bombas na guerra magia
ninguém matava
ninguém morria
nas trincheiras da alegria
o que explodia era o amor
ardia aquela fogueira
que me esquentava a vida inteira
eterna noite
sempre a primeira festa do interior.

 


 

SOBE MEU BALÃO
(de Portelo Juno e César Cruz)

 

Sobe meu balão
Sobe para nunca mais voltar
E leva pra São João
A tristeza que eu tenho
No meu coração

 

Sobe meu balão
Leva este cartão
E entrega a São João
E fica lá no paraíso
Onde o mundo é ilusão

 

Vejo as estrelas
Vejo os balões
Lindos fogos d’artifício
Mas não vejo meu São João
Pois eu vivo da ilusão.

 

 

 

 

 

 

 

Murais

Mural 2

Sirva-se!



 

Ctrl+C para copiar o brinde acima!

 

 

Clique numa das imagens abaixo,

se preferir voltar à página principal!

 




ESPEERO QUE TENHA GOSTADO; VOLTE SEMPRE!